Qual o melhor sorvete de Buenos Aires?

Capa do livro Heladerias de Buenos Aires, de Horacio Spinetto

Em Buenos Aires tem um tema que no verão leva a debates tão calorosos como a política e o futebol: o sorvete!

Apenas na capital são mais de 3.000 sorveterias, o que faz com que esta mistura de sabores com leite, água ou creme seja considerado um clássico portenho.

Freddo, Persicco, Chungo, Volta e Munchi’s são as principais cadeias, estão por todo o lado e fazem uns sorvetes super deliciosos.

Mas há um mundo por descobrir que vai além das grandes. Cada bairro tem a sua sorveteria e seu publico fiel.

A paixão vem de longe. Dizem que já se tomava sorvete em 1845 e que até a instalação da primeira fábrica de gelo, em 1860, os sorvetes eram preparados com gelo vindo dos Estados Unidos em navios, que depois eram acondicionados na geladeira do velho Teatro Colón, abaixo do setor de platéias.

A sorveteria mais antiga ainda em funcionamento é a El Vesuvio (Corrientes 1181), inaugurada em 1902 e que, como quase todas as pioneiras, chegou pelas mãos de imigrantes italianos que trouxeram na bagagem receitas familiares secretas.

Na época, duas pessoas giravam uma manivela por cerca de 1h45 para preparar a mistura. A Vesúvio é mencionada inclusive no tango La Ultima Grela, de Horacio Ferrer, musicado depois por Piazzolla.

A super equipe da Laponia!

Uma das mais famosas de Buenos Aires, no entanto,  foi a Laponia, cujos vendedores, vestidos de branco, percorriam a cidade em bicicleta e triciclos na pré-historia do delivery. A empresa chegou a ter 1.800 empregados e 100 sucursais na década de 1930!

A melhor sorveteria é a que está perto de casa ou tem delivery!

A fidelidade é tema serio quando se falaem sorvete. A Freddo, exemplo, tentou se instalar em Villa Devoto e foi obrigada a fechar as portas. Os vizinhos fizeram bloqueio para prestigiar a Monte Olivia, um clássico do bairro que teve, entre seus freqüentadores, o grande Ernesto Sábato.

Isso não quer dizer que as cadeias também não tenham seus fãs. Das cinco maiores, três devem sua existência a um mesmo italiano, Luigi Anversa, e seus descendentes: a Persicco, a Freddo e a Volta, mas a única que não trocou nunca de dono foi a Chungo. Completa a lista de grandes a Munchi’s, que trabalha somente com leite de vaca da raça Jersey.

Tanto mercado gera extravagâncias, como a Sorveteria Zen, que oferece sabores como Crema Feng Shui (receita secreta) ou misturas estranhas como sorvete de soja, chá verde e sésamo, de queijo com batata doce, de Malbec, de Quilmes e até de caipirinha! E boas especificidades, como a sorveteria Tutim, a primeira a oferecer sorvete kosher, além das casas para diabéticos e celíacos.

Duas coisas, no entanto, são indiscutíveis. A quantidade (quatro litros de sorvete por ano por habitante), e o sabor preferido da galera, o doce de leite, em diferentes versões.

Se apertar a dor na consciência, apele para a desculpa dos argentinos. Eles dizem que o “helado es bajativo”, isto é, ajuda na digestão!

E, muito importante: não esqueçam que sorvete em espanhol é helado. Quem pedir sorvete pode levar para casa um canudinho!

Busca de sorveterias, com preco por quilo: Heladopedia!

6 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *