Economia solidária: Comunidades Unidas de Molinos

Ruta dos “telares”

Valle de Luracatao, departamento de Molinos, província de Salta: nessa região vivem umas 4000 pessoas, o equivalente a umas 300 familias.

A base da economia é o artesanato, especialmente em tear.

Há oito anos eles se uniram e formaram a organização “Comunidades Unidas de Molinos”, formada por 50 trabalhadoras que produzem peças em lã de ovelha e llama.

Há três anos começaram a receber apoio do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) para agregar valor ao trabalho pecas que desenvolvem.

Primeiro eles melhoraram a qualidade do fio; depois, aprenderam técnicas de corte e confecção, aprimoraram o tricô e, por fim, fizeram com que o desperdício, as sobras de lã, que eram usadas para o recheio de almofadas, ganhassem valor agregado em peças de feltro. Uma coleção de roupas que poderia estar em qualquer passarela.

Finalmente estão começando a comercializar, como na feira Caminhos e Sabores, em Buenos Aires. Algumas peças pude conferir em Salta.

comunidades unidas molinos roupas

Todo o trabalho envolve as Escuelas Campesinas de Artesanías

comunidades unidas molinos poncho

Pala de gala!

O melhor, no entanto, foi o trabalho que eles fizeram de “descontrução” do poncho saltenho. Acompanhem só:

comunidades unidas poncho salteño

Poncho salteño original

Estratégia de design (não achei um panfleto explicativo, nem nada na internet. vai a foto)

Como fica o poncho estilo “casaquinho”

Versão final em branco

2 Comments

  • martha disse:

    ES MUY INTERESANTE VER ESTAS COMUNIDADES O COOPERATIVAS DE
    ARTESANOSE EL APOYO DEL INTA SUPONGO QUE DEBE SER MUY IMPORTANTE.ME DA MUCHA ALEGRÍA VER QUE ESTAS FAMILIAS CON SU TRABAJO PUEDAN VIVIR DIGNAMENTE.OJALÁ PASE ÉSTO EN MUCHOS LUGARES DE NUESTRO PAÍS.

  • Osny T. Padilha disse:

    gostaria muito de adquirir esse poncho salteño, vermelho com faixa preta.
    Esse poncho foi criado oficialmente em 1931, em homenagem a Batalla de Salta ou guerra gaucha, por ocasião da independência argentina.
    A cor vermelha significa o sangue dos gauchos, derramados na Battalla de Salta, e a cor preta, o luto pela morte do general gaucho, Martin Miguel de Güemes, líder dos gauchos infernales, morto em batalha em 17 de junho de 1821.
    Anualmente, no 17 de junho, cerca de 1.000 cavaleiros gauchos, entre homens, mulheres e crianças, desfilam trajando o tradicional poncho vermelho e preto, em homenagem ao seu eterno líder, General Martín Miguel de Güemes.
    Resumindo, o poncho salteño tornou-se uma peça de uniforme obrigatória para todos os gauchos salteños.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *