Milongas gay friendly ou queer: para bailar sem preconceito

milongas_gay_eu e ada

Dançando com Ada, uma das mulheres que mais sabe fazer o papel de “leader”

Como baile popular, o tango sempre refletiu as mudanças sociais.

Então, nada mais natural que o aumento do número de milongas onde se pode bailar entre pessoas do mesmo sexo  em Buenos Aires.

A cidade se orgulha de ser gay friendly e de ter sido a primeira na América Latina a aprovar, em 2010, a lei do Matrimonio Igualitário.

Asmilongas gay friendly ou queer” são lugares onde cada um dança com quem quiser, fazendo o papel de líder ou de seguidor, e não necessariamente de homem ou mulher.

São frequentadas por homossexuais, heteros, trans…não importa a orientação sexual ou de gênero. E sim que sejam todas pessoas interessadas em um tango mais livre e diverso, sem os papéis fixos do tango tradicional.

História

A primeira milonga queer de Buenos Aires foi realizada em 2003 e já em 2007 a cidade teve seu I Festival Internacional de Tango Queer – a próxima edição acontece de 17 a 23 de novembro dese ano.

Em 2013, pela primeira vez na história, o Festival e Mundial de Tango de Buenos Aires teve um casal do mesmo sexo inscrito na categoria salão: Ale Segovia e Matias Sotto.

milongas gay friendly

Foto Gisele Teixeira

 

Em 2014, dois irmãos se classificaram em quarto lugar na final de tango de palco, mudando o curso dessa história definitivamente.

Neste link, uma série de textos e artigos publicados sobre o tema, de 2002 a 2014  

E aqui, diversos vídeos de tango entre casais do mesmo sexo.

milongas gay mundial

Os irmãos Germán Gabriel e Nicolás Martín Filipelli. Foto Gisele Teixeira

 

Intercâmbio de roles

Durante muitos anos o tango foi conhecido como uma dança na qual o “homem leva” e a “mulher segue”. No entanto, é cada vez mais comum na capital argentina ver a troca de papéis, chamada em espanhol de “intercâmbio de roles”. Ou seja, a dança mais alinhada com uma proposta de líder-seguidor, sem que isso tenha a ver com sexo ou com sexualidade.

Quem estuda a dança mais a fundo sabe que até esses termos líder-seguidor estão desaparecendo, com a possibilidade de que ambos possam liderar e seguir ao mesmo tempo, durante um mesmo tango e com os mesmos recursos, sem mudar o abraço, de forma quase imperceptível para que vê de fora.

 

Abaixo, uma lista de milongas gay friendly ou queer

ladomilonga

Adoro o astral da Domilonga. Super recomendo

 

La Marshal – Riobamba, 416 – Sextas-feiras. Aula e milonga a partir das 22h30. Foi a primeira milonga gay de Buenos Aires.

Milonga Tango Queer – Perú, 571 (San Telmo). Terças-feiras. Aula e milonga a partir das 21h. Aulas com Mariana Docampo, referência em “intercâmbio de roles”

Los Laureles – Av. Iriarte, 2290 (Barracas). Checar horário e programação no site.
Aulas com Soledad Nani, uma suuuuuper profe para quem quer aprender o “papel de líder”.

Domilonga – Independência, 572 (San Telmo). Domingos, a partir das 21. Aulas com Celeste Rodriguez, outra excelente professora.

Milonga Sin Gomina –  Todas as sextas, em Chile 1351 (Montserrat). Aulas a partir das 20h.

 

Deixo um flashmob realizado no bar “Los Laureles”, em solidariedade com as minorias sexuais, perseguidas nos países mostrados, nos quais sequer podem bailar com liberdade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *