Rock argentino: mostra em homenagem a Luca Prodan

luca prodan

Mostra reúne discos e objetos pessoais do líder da mítica banda Sumo

 

 

Luca Prodan

Foto: divulgação

Para fãs do rock argentino, uma mostra imperdível no Museo del Libro y de la Lengua (coladinho à Biblioteca Nacional): LUCA: EL SONIDO Y LA FURIA.

A exposição reúne discos, roupas, cartas e fotos de Luca Prodan, músico que nasceu na Itália, se criou entre a Escócia e Londres, e adotou a Argentina nos anos 80 para se recuperar da dependência de heroína.

Aqui, fundou o lendário grupo SUMO, que depois se dissolveu e deu origem a Divididos e Las Pelotas. Uma lenda.

 

 

Luca prodan

Detalhe da mostra. Foto Gisele Teixeira

Se você sabe quem é Luca Prodan, bom proveito. Reserve um bom tempo para visitar a mostra, que parece pequena, mas não é.

Tem desde os discos dos Sex Pistols que ele trouxe de Londres (e que – dizem – roubava da Virgin Records) até fotos de quando Luca era bebê, junto aos pais, ou num caríssimo internato escocês, onde integrou a banda de gaitas e estudou trompete.

Se você nuca ouviu falar dele, vem comigo!

luca prodan

Velhos tempos

Quem foi Luca Prodan

Luca nasceu em Roma, em 1953, estudou no aristocrático colégio escocês Gordonstown College e, e nos anos 70 se mudou para Londres, onde trabalhou para EMI e participou das origens do movimento punk.

Em 1981, aceitou o convite de um amigo que morava perto de Córdoba, e veio viver em Mina Clavero, sem falar nenhuma palavra em espanhol. Em pouco tempo estava em Buenos Aires.

O objetivo da mudança para a Argentina era deixar a heroína, da qual era dependente, e recuerar-se do suicídio da irmã, mas acabou formando a banda que definiria o rock nacional.

cuadros-art-decoracion-sumo-luca-prodan-15x20_MLA-F-144778666_6500

Em ação, junto ao Sumo

 

Em seguida se juntou a Germán Daffunchio e Alejandro Sokol primeiro, e a Diego Arnedo, Roberto Petinatto, Ricardo Mollo e Alberto Troglio mais tarde, dando origen a Sumo, uma banda que deixou para sempre sua marca no rock argentino e que cresceu em popularidade após a sua morte.

Prodan foi encontrado morto em sua casa em uma terça feira, 22 de dezembro de 1987, dois dias depois de seu último show. Tinha 34 anos. Segundo os médicos, havia morrido de cirrose, existem ainda outras versões, como ataque cardíaco e mesmo overdose.

 

Os discos

Foram apenas três discos com o Sumo, além de um primeiro registro informal do grupo, chamado “Corpiños en la madrugada“, gravado em fita de cassette e com distribuição limitada .

Em 1985 eles gravaram seu primeiro disco “oficial” , chamados “Divididos por la Felicidad“, uma brincadeira com o nome do grupo Joy Division, grande influencia de Prodan. O principal hit do albúm foi “La rubia tarada”.

O segundo disco, “Llegando los Monos” foi gravado em 1986, com influencias de ska e hardcore, mas sem abandonar a estética post punk. Entre as músicas clássicas deste álbus estão  “Estallando desde el océano”, “El ojo blindado” e “Nextweek”. Deste disco saiu ainda o hit “Los viejos vinagres”.

Em 1987 o Sumo gravou o terceiro e último disco: “After Chabón“.

Abaixo, o trailer do filme sobre ele e o filme completo.


 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *