Morreu Sandro, o Sidney Magal portenho

Saiba quem foi Sandro, ídolo popular argentino na linha de Sidney Magal, que durante muitos anos foi considerado brega e, depois, virou cult!

Sandro

Foto do jornal La Nación

 

A Argentina começou o ano de luto.

Todos os jornais trazem hoje na capa detalhes sobre a vida e obra de Sandro, cantor que morreu ontem, 45 dias após fazer um transplante duplo de coração e pulmões.

Sandro, também conhecido como El Gitano, foi uma figura e tanto, uma mescla de Sidney Magal com Roberto Carlos e Vando que lhe rendeu milhares de fãs.

Durante sua carreira gravou 52 discos, vendeu 8 milhões de cópias e participou em 16 filmes. Também vai entrar para a história por ter sido o primeiro latino americano a se apresentar no Madison Square Garden e protagonizado a primeira transmissão de show via satélite do mundo.

sandro

Capa do Página 12 de hoje

 

 

Aliás, toda a história dele é ótima. Para começar compôs “Tengo”, mega sucesso de Magal na versão em português. Tenho! Mil braços para abraçar-te. Mil bocas para beijar-te. Mil noites para viver...

O cantor começou nos anos 60, com a banda “Sandro y Los de Fuego”, que fazia covers do rock internacional, como Beatles, Elvis, Rolling Stones e Jerry Lee Lewis, mas em espanhol.

Em 1964, incendiou um programa de televisão chamado Sábados Circulares cantando e dançando com “movimentos pélvicos compulsivos”.

Foi um escândalo. Começou a ser chamado de “Elvis criollo”.

Deu uma guinada na carreira em 1967 e virou cantor de baladas românticas. Foi quando lançou músicas como “Rosa, Rosa”, que o consagrariam de vez. Manteve, claro, o estilo sedutor.

A mulherada já o seguia de perto, com gritos e desmaios. Aliás, as fanáticas de Sandro, também conhecidas como as “nenas de Sandro” (hoje todas com mais de 50 anos, é bom que se diga), são parte essencial na carreira do cantor.

Nos shows, jogavam roupas íntimas no palco e mantinham o clima de histeria total.

No final da década de 60, ele ganhou o Festival de Viña del Mar, no Chile, o que lhe abriu as portas do mercado latino.

Nascia “Sandro de América”, o homem que colocou 250 mil pessoas no Madison Square Garden, em Nova Iorque, e que entrou também para a seleta lista dos cantores que já lotaram o Maracanã.

O estrelado diminuiu nos anos 80, mas não o carinho do público.

Considerado brega durante muitos anos, mais tarde Sandro virou cult e recebeu homenagem massiva dos roqueiros e outros músicos, que gravaram um disco em seu tributo (Pode ser baixado no Taringa). O tributo teve a participação de León Gieco, Los Fabulosos Cadillacs e Divididos, para citar alguns. Depois, o cantor participou de um disco com Charly García e Pedro Aznar.

Em 1999, recebeu o Premio Carlos Gardel de Ouro e, em 2005, o Grammy Latino por sua trajetória.

Abaixo, duas gravações de Tengo, a original e a com Divididos.

 

9 Comments

  • Marcelo Barbon disse:

    Discordo, Gisele. O Sandro é muito, mas muuuuuuuito mais que o Magal. Você só está vendo um lado dele, com suas músicas mais antigas. O Sandro na Argentina e na América Latina, tem uma transcedência e uma importância que só pode ser comparada ao Roberto Carlos no Brasil. Essa seria, na minha opinião, a comparação mais correta. Sandro foi o primeiro latino da história a cantar no Madison Square Garden, para ver a importância. E vendeu quase 30 milhões de discos. Magal não chega aos pés.

  • Gisele Teixeira disse:

    Marcelo, eu sei que o Magal nao chega aos pès do Sandro, por isso coloquei no texto que acho ele uma mescla de Magal, pelo estilo, com Roberto Carlos, pela importancia na musica, e ainda com o Wando, pela histeria feminina que provoca. Acho que é por aí. Por que comparar só com o Roberto também nao creio que seja justo. Aì acho o Roberto muito maior que o Sandro. Vamos discutir isso com um vinho?

  • Marcelo Montemor disse:

    Gostaria de dar minha opinião.
    Para mim o Sandro “é” o numero 2 da America Latina. Perde pro Roberto em tamanho de repertorio. Mas, em outros aspectos é muitas vezes superior. Presença de palco, ritmo, comunicação, empatia, senxualidade etc.
    Como fã tb do Elvis, venho pesquisando algumas coisas q levam a crer q o King conhecia o trabalho do Gitano. Existem varias “concidencias” q podem comprovar isso.
    O Magal é apenas uma “copia” de Sandro.
    Abraços

  • Roberto silva disse:

    Gente, o Sidney Magal é a copia de Sandro pela potencia da voz, e o nosso Roberto Carlos na frente de Magal tem voz de passarinho morto.
    Roberto Carlos teve sorte e nao talento de grande voz. Ele perde até para Ivete Sangalo na voz. Roberto carlos nao é nada. É só o apoio que a globo da todos os anos com especial de fim de ano.

  • Roberto silva disse:

    Com todo respeito a roberto carlos rey da musica brasileira ,sidney magal tem uma voz muito mais potente que a do colega rey roberto carlos,mas o artista nao so se ve na potencia da voz e sim na qualidade e suavidade da voz,mas roberto carlos deveriam convidar sidney magal em seu especial de fim de ano na globo ,e roberto leal tambem,os devem ser amigos tem espaço para todos o sol é para todos,roberto carlos nao preciza ter medo de grandes vozez como a do magal ,

  • Roberto silva disse:

    Amiga gissele,o sandro de américa parecido com nosso brasileiro magal ,nao vendeu 30.milhoes de discos,e sim 8 milhoes de discos o argentino sandro vendeu,pelo que dis wikipedia dele,eo magal tinha esplodido no sucesso de 78 a 80,e veio o argentino sandro e apareceu no fantastico e acabou com o grande sucesso do magal dizendo que mal tinha roubado suas musicas para romper seu suscesso,e conceguiu,.se continuace como éra ,mal tinha tomado conta do brasil inteiro com um grando sucesso que so falavam no magal por tudo ,foi relampago até aparecer sandro de américa argentino,e sandro lançou um disco depois no brasil e nao conceguiu nada com exito musical,so estragou para magal ,enves de entrar num acordo e faturar juntos seria bem melhor,para os dois

    • Armando Oliveira disse:

      Não sabia q o Sandro apareceu no fantastico pra dizer q o Magal o roubou. Gostaria de ver esse material. Isso não era do feitio dele. Só acredito vendo.
      O q eu sei é q o Magal foi criação do Paulo Coelho e do Argentino Robert Livi. Inclusive muitas das musicas do Magal foram compostas pelo Paulo Coelho. Ele mesmo, o mago Paulo Coelho. Magal gravou 8 musicas de Sandro e teve até q fazer permanente pra não ficar muito parecido com el gitano. Já q Sidney tb tem cabelo liso. Qto ao faturamento, seria uma boa ideia mesmo. Sandro cantando em portugues é uma lastima. Eu já ouvi o disco q por sinal vale uma fortuna no mercado. Quem tiver venda!

  • LUIS FERNANDO TARDIO NUNEZ disse:

    SANDRO: era mas que um cantor, mais que um compositor, ERA UM POETA, que já desde meados da decada dos anos 60 e 70 tiverom grande exito no continente latino americano desde Tihuana no Mexico até a Patagonia no cone Sul, até hoje, neste momento depois de 50 anos continuan sendo exito por toda a America Latina, en qualquer lugar deste continente continuan sendo tocadas e cantadas até hoje todas as suas musicas.de MAGAL não sei só que quando vi ele cantar as musicas de SANDRO não tinha a menor comparaçao era ridiculo agora sim ele plagio ou compro os direitos autoriais não sei.

Deixe uma resposta para Marcelo Montemor Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *