Memória Aberta

A Argentina lembra, amanhã, os 35 anos do golpe militar de 24 de março de 1976. O assunto é tema da coluna CARTAS DE BUENOS AIRES, publicada no Blog do Noblat.

Além da já tradicional marcha que acontece na quinta-feira, entre o Congresso e a Praça de Maio, uma das novidades deste ano é o Primeiro Encontro pela Memória, Verdade e Justiça, que começa hoje, na Câmara dos Deputados. Discutirá especificamente a Operação Condor, plano repressivo coordenado pelas ditaduras do Brasil, Argentina, Uruguai, Chile, Paraguai e Bolívia, na década de 1970.

Outras manifestações ocorrerão no antigo prédio da Escola Superior de Mecânica da Armada, conhecida como ESMA, onde funcionou o Centro Clandestino de Detenção, Tortura e Extermínio, emblema da última ditadura militar, por onde passaram cerca de cinco mil pessoas.

Entre os destaques da programação também está a exposição Vestígios, que pode ser vista on line AQUI.

Amigos e familiares de vítimas da ditadura forneceram e contaram histórias de alguns objetos pessoais dos desaparecidos. Ao clicar em cada um, temos uma perspectiva que normalmente não está presente nos relatos históricos e que contribui para construção de uma memória coletiva.

1 Comment

Deixe uma resposta para martha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *