Tango e futebol: duas paixões argentinas!

Para quem não leu, reproduzo aqui a coluna publicada em BsAs4U na última quinta-feira.

foto1_tango-y-fut

Vai um baile aí?

Tem muito tempo que o futebol inspira o tango!

E é bem verdade que pelo menos duas coisas eles têm em comum: para ambos é preciso destreza nas pernas e, em alguns casos, uma pitada de sofrimento.

Talvez por isso batam um bolão quando se juntam: um levantamento mostra que há pelos menos 47 tangos que homenageiam o esporte criado pelos ingleses e, dizem os portenhos, “reinventado” pelos argentinos.

A pesquisa foi feita por Jesús Castañón Rodríguez para o documento TANGO E FUTEBOL, e pode ser lido na íntegra AQUI. São tangos em homenagem a times de futebol, a jogadores, e também a temas relacionados a este universo, como os sonhos, a família, o bairro onde nasceram os craques.

De Agustín Bardi a Astor Piazzolla, de Carlos Gardel a Rubén Juárez, várias gerações de artistas de tango expressaram sua paixão futebolística.

tango-futebol-partitura,jpg

Partitura histórica

Um dos primeiros registros data de 1913, e é um tango de Vicente Greco que se chama ‘Racing Club’, criado para o time de Avellaneda, campeão dos torneios de 1913 a 1919.

É uma delícia de tango, tocado até hoje nas melhores milongas. Mas Independiente, San Lorenzo de Almagro e River Plate também inspiraram tangos nas primeiras décadas do século XX.

Carlos Gardel, que era na verdade mais amante do turfe que do futebol, gravou dois tangos diretamente ligados ao tema: ‘Patadura’ (1928) e ‘Mi primer Gol’ (1933)

Outro registro interessante vem de Astor Piazzola que, em 1978, durante a Copa do Mundo realizada na Argentina, em plena ditadura militar, batizou seu disco gravado na Itália de ‘Mundial 78’.

Os tangos tinham nomes como “Marcación”, “Penal”, “Gambeta”, “Golazo”, “Wing” e “Corner”, para citar alguns.  O fato não foi bem visto, obviamente, e durante um tempo ele teve que trocar os nomes dos tangos – e do disco, que virou Chador. Mas a inspiração está lá. A história completa foi contada pelo Jornal Página 12.

 Curiosidade: nenhuma destas músicas foi tocada ao vivo por ele!

Com o tempo, quase todos os grandes craques argentinos inspiraram letras de tango. Alguns exemplos: Gardel dedicou o tango ‘Sami’ ao jogador español José Samitier em 1928, logo depois de vê-lo campeão no final da copa Rey da Espanã. O lendário goleiro do River Amadeo Carrizo é o homenageado em ‘Tarzán’ (Armando Pontier – Leopoldo Díaz Vélez).

Mas Diego Maradona é, obviamente, a principal inspiração! Entre os tangos dedicados ao “Deus” podemos citar ‘Pompeya para Diego era París’ (Javier González – Alejandro Szwarcman), ‘Para Diego Maradona’ (Ernesto Baffa) e ‘El Sueño del Pibe’, de Reinaldo Yuso, que o jogador mesmo adora cantar.

Isso sem falar em Messi, que também tem seus tanguitos!

 

Mais recentemente, a dança pediu seu espaço e vem fazendo sucesso com este vídeo futeboleiro.

VIDEO TANGO E FUTEBOL, FEITO PELA TOPPER em 2010

 

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *