Tigre e Delta: tudo o que você precisa saber

um dia no tigre abre

Passar um dia no Tigre ou no Delta é a melhor maneira de fugir do calor de Buenos Aires no verão. Neste post, saiba como chegar e os diferentes passeios que você pode fazer na região.

 

Começamos com duas aclarações: quando a gente fala informalmente do “Tigre”, fala de duas coisas – da cidade em si, em terra firme, a cerca de 30 km de Buenos Aires, mas também do Delta, o quinto maior delta do mundo, que se espalha por 17.500 quilômetros quadrados de área e abriga 14 mil pequenas ilhas. É também o único delta que não deságua no mar e sim em outro rio, no Rio da Prata. Venha descobrir com a gente o que fazer a partir da cidade do Tigre,  que está bem na pontinha, quase caindo do mapa abaixo!

A segunda aclaração é a seguinte: não dê bola para quem diz que o passeio no Tigre “não vale a pena”. Provavelmente essas pessoas ainda não o descobriram como ele merece! O Delta tem oito seções de ilhas, sendo duas delas declaradas Reserva da Biosfera pela UNESCO. É lindo, vai por mim!

Como chegar

O melhor jeito de chegar ao Delta do Tigre é de trem.  Eles partem da Estação Retiro, plataformas de linha Mitre 1 ou 2. Dias úteis, a frequência dos serviços é cada dez minutos até meia-noite, enquanto nos finais de semana os trens saem a cada 30 minutos. A viagem de Retiro ao Tigre leva cerca de 50 minutos. Veja: www.trenmitre.com.ar. Também se pode ir usando o Trem de la Costa, mas acho que não vale mais a pena, agora que os trens “normais” foram renovados.

Também dá para ir em ônibus, usando a linha 60, que psssa por quase toda a cidade Buenos Aires e te leva ao Tigre. Demora cerca de uma hora e meia para chegar. Obviamente que você também pode ir de carro, pela Ruta 9 e depois Ramal Tigre. Há um ótimo estacionamento ao lado da estação de trem.

mapa do delta do tigre

O que fazer ao chegar

Vá direto para a Estação Fluvial Domingo F. Sarmiento e peça seu mapinha, onde estão as principais informações sobre a cidade e os passeios. Há diversos guichês vendendo os passeios, que variam de acordo com o modelo do barco e duração.

Há muitas maneiras de passear pelo Tigre e a gente fica meio perdido ao chegar. Vou tentar te ajudar.

  • Lanchas coletivas – São os “ônibus” do delta e a opção mais barata para passear. É o que tomamos sempre (170 pesos para quem não mora nas ilhas). São três linhas: Interisleña, Jilguero e Líneas Delta. Essas lanchas possuem “paradas” ao longo do trajeto e você pode descer e subir a hora que quiser. O Tigre tem oito seções e o preço vai variar de acordo com o lugar que você decidiu ficar – quanto mais longe mais caro. Escolha primeiro onde ir e depois compre o tíquete, porque cada empresa tem diferentes trajetos.
  • Lanchas táxi: para passeios privados. Quem manda é você e por isso é mais caro.
  • Excursões fluviais: Há várias opções de passeios, feitos em grupo. A diferença deste para a lancha coletiva é que geralmente você não desce do barco na hora que quiser e o trajeto já é determinado – algumas oferecem almoço ou jantar à bordo, ou a possibilidade de comer em um típico restaurante costeiro. A Aguiar Buenos Aires oferece um passeio de 4 horas, com guia em português. Fale que você leitor do Aquí me Quedo!
  • IMPORTANTE: Alguns passeios oferecem visita às casas de Haroldo Conti, em Arroyo Gambado, e à de Rodolfo Walsh, sobre o rio Carapachay. Eu ainda não fiz nenhum deles!
delta do tigre lancha coletiva foto gisele teixeira

Lancha coletiva

 

Lancha coletiva + restaurantes

Você pode usar a lancha coletiva para ir a um restaurante da I Seção (a mais urbanizada) e voltar, por exemplo, e depois usar a parte da tarde para conhecer algo cidade, como o Porto de Frutos ou o Museu do Tigre, que é lindão. Quanto mais longe, mais tranquilo. Mas mesmo para ir à I Seção você vai levar uns 40 minutos e ver muita coisa interessante no caminho.

museu sarmiento delta do tigre foto gisele teixeira

Museu Sarmiento

 

Muitas vezes os restaurantes são também complexos turísticos, onde você pode ser hospedar. O principais restaurantes são os seguintes: Alpenhaus, El Hornero, El Gato Blanco, Atelier Chez Lissie, Extra Brut, Juncal de Rio Abierto e Parrilla Tornado. Se você tiver mais alguma dica, manda pra gente!

Restaurante Atelier Chez Lissie - Divulgação

Restaurante Atelier Chez Lissie – Divulgação

Parrilla Tornado - Divulgação delta do tigre

Parrilla Tornado – Divulgação

Juncal de Rio Abierto - Divulgação delta do tigre

Juncal de Rio Abierto – Divulgação

 

Lancha coletiva + recreios

Outra opção, especialmente se você estiver com crianças, é optar por um “recreio” – áreas com restaurante e piscina, onde você pode usufruir de todas as instalações durante o dia. A gente foi com a mãe na Colonia do Banco Província e fizemos um piquenique, mas acho que podia ter sido somente num restaurante – já que não usamos mais nada. Há lugar para fazer um churras! Nos recreios você tem que pagar para entrar (entre 100 e 150 pesos) e mais o exame médico da piscina (60 pesos, no Banco Província).

delta do tigre piquenique

Piquenique! Eba!

delta do tigre

Outros recreios são: El Alcazar, El Galeón de Oro e Parque Lyfe.

Um dia no Tigre El Galeón de Oro - Divulgação

El Galeón de Oro – Divulgação

 

Aulas de remo, caiaque e outros

Outra grande pedida do Delta do Tigre é aventurar-se num esporte náutico (ainda não fiz). São várias as empresas que oferecem este serviço. Confira AQUI. Se você já sabe remar, pode alugar um caiaque e tchau. Senão, pode incluir uma aula e passeios em grupo – inclusive à noite, quanto tem lua cheia!  Algumas escolas oferecem também wakeboard e sky aquático.

delta do tigre remo Foto Gisele Teixeira

Foto Gisele Teixeira

delta do tigre foto gisele teixeira

 

Tigre, a cidade!

Para quem prefere ficar na cidade do Tigre mesmo, também há muitos atrativos. Entre as coisas bacanas para conhecer está o Museo de Arte Tigre (antigo Tigre Club) e o Museu do Mate (que é bem legal!). Além do Porto de Frutos, uma graça, ótimo não somente para comprar frutas e verduras, mas também plantas, acessórios e móveis para a casa. É enorme!

Museu do Tigre

Museu do Tigre -Divulgação

Porto de Frutos tigre foto gisele teixeira

Porto de Frutos

Outras dicas bacanas do Tigre neste post, como o Belinda Café, o Boulevard Saenz-Peña e o Mercado de Pulgas Toto

Mercado de Pulgas DON TOTO cidade do tigre

Mercado de Pulgas DON TOTO

4 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *